Page Nav

HIDE

Post/Page

Weather Location

Últimas Informações:

latest

Novo primeiro-ministro da Austrália, um homem pentecostal

Jessilyn Justice Comentário de Julio Severo:  Logo que soube, me alegrei com a eleição do novo primeiro-ministro australiano, por ele ser,...

Jessilyn Justice

Comentário de Julio Severo: Logo que soube, me alegrei com a eleição do novo primeiro-ministro australiano, por ele ser, conforme reportagem da revista pentecostal Charisma, um homem cheio do Espírito Santo. Mas meu entusiasmo diminuiu quando li sobre as principais referências políticas dele: Embora William Wilberforce seja uma referência excelente (confira este artigo: “Feliz aniversário, William Wilberforce — o legado de um herói”), Desmond Tutu é adepto de uma espécie de Teologia da Libertação Negra e é totalmente contra os versículos da Bíblia que condenam o homossexualismo. Confira este artigo: Arcebispo Tutu: Prefiro ir para o inferno a ir para um céu “homofóbico.” Leia também reportagem do WND, um dos maiores sites conservadores dos EUA, intitulada “Arcebispo: Prefiro ir para o inferno.” A reportagem de Charisma sugere que, na questão homossexual, o primeiro-ministro pentecostal é conservador. Mas, sinceramente, não sei como ele consegue conciliar tal conservadorismo com admiração por Tutu, um esquerdista e apóstata que ama a sodomia e detesta a Palavra de Deus. É a mesma coisa que um político cristão dizer que é conservador, mas admira Leonardo Boff da Teologia da Libertação. É uma incompatibilidade colossal. Outra incoerência foi citar Joe Lieberman, senador americano do Partido Democrático. Lieberman é pró-aborto! Morrison me parece, em questões conservadoras e em questões de fé, muito mais ousado do que Marina Silva, mas sua citação de esquerdistas é um erro grande, que espero seja apenas ignorância de um pentecostal com pouca leitura. Vou tentar postar, na página de Facebook de Scott Morrison, meu artigo em inglês e o artigo do WND em inglês sobre o apóstata Tutu. Leia a reportagem da Charisma:

Scott MorrisonQuando os australianos elegeram Scott Morrison na semana passada, eles conseguiram um homem que fala abertamente sobre sua fé cheia do Espírito.

Morrison é um frequentador regular da Igreja Horizonte, uma das maiores igrejas pentecostais da Austrália.

“Acreditamos que, ao permitirmos que o Espírito Santo revele Seus propósitos e a presença de Si mesmo no meio de Sua igreja, a vida das pessoas será transformada. Nossa liderança é liderada pelo Espírito e nossas atividades e programas são dirigidos pelo Espírito,” segundo o site da igreja.

Que Morrison é pentecostal chamou a atenção de vários grandes meios de comunicação, até mesmo nos Estados Unidos.

“Acho que as pessoas de fé em todo o país estão muito cheias de esperança de que alguém de fé e princípios cristãos esteja desempenhando tal papel na vida pública,” disse Kristy Mills, a pastora executiva, disse ao jornal New York Times. “Eu acho que há uma grande esperança de que a tomada de decisões seja influenciada por princípios baseados no temor a Deus.”

Cada meio de comunicação é rápido em apontar que os membros da Igreja Horizonte falam em línguas e experimentam curas divinas.

Mas alguns australianos são céticos sobre como a fé do novo primeiro ministro afetará sua política.

“Se eu fosse Morrison, teria cuidado sobre parecer muito religioso e insistir demais nisso,” diz Geoffrey Robinson, professor sênior de ciências sociais na Universidade Deakin. “Essas declarações ‘de coração aberto’ da fé religiosa deixam algumas pessoas um pouco desconfortáveis. Religião na política causa suspeita. Parecer claramente religioso pode ser um problema.”

Grandes questões bíblicas já causaram problemas na Austrália, já que os australianos votaram a favor da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no final do ano passado.

Segundo o Times, Morrison se absteve da votação.

Morrison diz que sua “fé pessoal em Jesus Cristo não é uma agenda política… para mim, a fé é pessoal, mas as implicações são sociais.”

Declarações como essas ajudam os cristãos australianos a suspirar de alívio.

“Ele não acha que ele é a maior e mais poderosa pessoa,” diz Martyn Iles, diretor do Australian Christian Lobby. “Ele sabe que está sob Deus.”

Em 2017, Morrison prometeu que não iria mais “tolerar” a discriminação religiosa contra os cristãos.

“E eu simplesmente vou chamar a atenção de todos para essa questão,” diz Morrison. “Com o que eu vi acontecer no ano passado, tomei a decisão mais recentemente, não vou mais tolerar isso. Não acho que meus colegas também vão tolerar isso.”

“Onde eu acho que as pessoas estão sendo ofensivas à religião neste país — qualquer religião que possa ser, mas particularmente aquela que eu e muitos outros cristãos apoiamos — olha, nós simplesmente vamos chamar a atenção de todos para essa questão e exigiremos o mesmo respeito que as pessoas deveriam fornecer a todas as religiões,” diz Morrison.

Morrison compartilhou parte de sua jornada de fé em 2008 em um discurso ao Parlamento:

Eu me volto agora para as influências mais significativas na minha vida — minha família e minha fé. A família é a essência da vida e não há nada mais precioso. Agradeço aos membros da minha família aqui na galeria hoje pelo seu apoio. É minha esperança que todos os australianos possam ter o mesmo ambiente de carinho e apoio que meus pais me deram, John e Marion Morrison, e meus falecidos avós, Mardie e Sandy Smith e Douglas e Noel Morrison, que eu honro neste lugar hoje. Meus pais lançaram as bases para minha vida. Juntamente com meu irmão, Alan, eles demonstraram através de suas ações sua fé cristã e o valor que deram ao serviço público e comunitário. Em nossa família, nunca era o que você acumula que importa, mas o que você contribui. Agradeço-lhes pelo seu sacrifício, amor e, acima de tudo, o seu exemplo. Para minha esposa, Jenny, no dia dos namorados: palavras não são suficientes. Ela me amou e apoiou em todas as coisas e fez inúmeros sacrifícios, coerentes com sua natureza generosa, desinteressada e carinhosa. No entanto, acima de tudo, agradeço-lhe a determinação de nunca perder a esperança de ter um filho. Após 14 anos de amargas desilusões, Deus lembrou-se de sua fidelidade e nos abençoou com nossa filha milagrosa, Abbey Rose, no sétimo dia do sétimo do sétimo, a quem dedico este discurso hoje na esperança de um futuro ainda melhor para ela e sua geração.

Crescendo em um lar cristão, assumi um compromisso com a minha fé em tenra idade e fui muito assistido pelo trabalho pastoral de muitos líderes dedicados da igreja, em particular o reverendo Ray Green e os pastores Brian Houston e Leigh Coleman. Minha fé pessoal em Jesus Cristo não é uma agenda política. Como disse Lincoln, nossa tarefa não é afirmar se Deus está do nosso lado, mas orar fervorosamente para que estejamos do lado dEle. Para mim, a fé é pessoal, mas as implicações são sociais — como responsabilidade pessoal e social estão no centro da mensagem cristã. Nos últimos tempos, tornou-se moda estereotipar negativamente aqueles que professam sua fé cristã na vida pública como “extremistas” e sugerir que tal fé não tem lugar no debate político deste país. Isso representa um desafio significativo para aqueles de nós, como meu colega, que procuram seguir o exemplo de William Wilberforce ou Desmond Tutu, para citar apenas dois. Esses líderes defendiam as verdades e princípios imutáveis ​​da fé cristã. Eles transformaram suas nações e, de fato, o mundo no processo. Mais importante, seguindo as convicções de sua fé, eles estabeleceram e reforçaram os princípios de nossa democracia liberal sobre os quais nossa própria nação é construída.

A Austrália não é um país secular — é um país livre. Esta é uma nação onde você tem a liberdade de seguir qualquer sistema de crenças que escolher. O secularismo é apenas um. O secularismo não pode fazer maiores reivindicações do que qualquer outra crença em nossa sociedade. Como disse o senador americano Joe Lieberman, a Constituição garante a liberdade de religião e não a religião. Eu acredito que o mesmo é verdade neste país.

Então, quais são os valores extraio da minha fé? Minha resposta vem de Jeremias 9:24: “Eu sou o Senhor que exerço benevolência, justiça e retidão na terra; porque deleito-me nestas coisas, diz o Senhor.”

Da minha fé, extraio os valores da bondade amorosa, justiça e retidão, para agir com compaixão e bondade, reconhecendo nossa humanidade comum, e para considerar o bem-estar dos outros; lutar por justiça para que todos possam realizar seu potencial humano e remover quaisquer obstáculos injustos que estejam em seu caminho, inclusive a diminuição de sua responsabilidade pessoal por seu próprio bem-estar; e fazer o que é certo, respeitar o Estado Democrático de Direito, a santidade da vida humana e a integridade moral do casamento e da família. Precisamos reconhecer um padrão imutável e absoluto do que é bom e do que é mal. Desmond Tutu explica desta forma: “Esperamos que os cristãos… sejam aqueles que defendem a verdade, defendam a justiça, permaneçam do lado dos pobres e famintos, dos sem-teto e dos nus, e quando isso acontece, então os cristãos serão testemunhas confiáveis e críveis.”

Esses são meus princípios. Minha visão para a Austrália é por uma nação que seja forte, próspera e generosa: forte em nossos valores e nossas liberdades, forte em nossa vida familiar e comunitária, forte em nosso senso de nacionalidade e nas instituições que protegem e preservam nossa democracia; próspera em nossos empreendimentos e cuidadosa administração de nossas oportunidades, de nosso ambiente natural e de nossos recursos; e, acima de tudo, generosa em espírito, para compartilhar nossa boa sorte com os outros, tanto em casa como no exterior, por compaixão e desejo de justiça.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: Meet The First Tongue-Talking, Pentecostal Prime Minister

Fonte: www.juliosevero.com

Nenhum comentário