Page Nav

HIDE

Post/Page

Weather Location

Últimas Informações:

latest

Como orar em línguas pode liberar o avanço que você procura

Mikel French Qualquer um que tenha estado no ministério pode dar testemunho de que sempre que o assunto do Espírito Santo e o falar em out...


Mikel French

Qualquer um que tenha estado no ministério pode dar testemunho de que sempre que o assunto do Espírito Santo e o falar em outras línguas ou idiomas surge em conversas ou pregações, isso pode fazer com que algumas pessoas fiquem bastante sem jeito. Mesmo quando não se toca nesse assunto, a questão ainda parece permanecer no ar. A questão polêmica fica no ambiente, mas muitos evitam mencionar.

Parte dessa dificuldade é porque muitas pessoas deturparam a ideia de orar em línguas. Hollywood retrata sistematicamente esse ato de fé sob uma luz negativa, fazendo com que pareça artificial ou semelhante a um seita e, como resultado, as suposições e expectativas das pessoas a respeito disso foram distorcidas. Eu diria até que se tornou popular hoje em dia se sentir desconfortável com isso.

Em vez de buscar uma compreensão biblicamente enraizada desse poderoso meio de comunicação com o Espírito Santo, as pessoas fogem, temem o desconhecido ou, talvez mais, têm medo de como os outros irão percebê-las. Em vez de perguntar: “Como o falar em línguas aprimorou minha caminhada com Cristo?” elas sussurram: “Eu tenho de fazer isso?”

Para pastores novos e experientes, essa pode ser uma questão desafiadora de lidar, já que lidar com isso significa assumir não apenas as suposições e inseguranças dessa pessoa, mas também as suposições e medos da cultura sobre falar em línguas. Dessa forma, aprendi que é melhor responder com um exemplo relatável. Sempre que alguém me pergunta: “Tenho de falar em línguas?” Eu respondo:

 “Tenho de abraçar meus netos, ou abraço meus netos? Tenho de sair da cama de manhã, ou saio da cama de manhã? Tenho que beijar minha esposa, ou beijo minha esposa?”

A resposta a todas essas perguntas é sim — sim, tenho de fazer isso, mas com alegria exultante e por causa do amor irresistível, faço isso!

Em vez de visualizar essas ações necessárias como mandatos a serem verificados na lista de tarefas pendentes, escolho uma perspectiva diferente. Não é uma questão de, tenho de fazer? Em vez disso, penso: Uau! Abraço meus netos e adoraria abraçar mais. Saio da cama de manhã e, na minha idade, sou grato por isso. Beijo minha linda esposa e louvo a Deus, ela ainda age como se ela adorasse isso. Da mesma forma, e ainda mais importante, não tenho de orar em línguas diariamente, mas oro todos os dias em uma linguagem de oração designada a edificar minha mais santa fé.

A linguagem está no centro de toda a nossa interação. Mais do que apenas a comunicação de idéias, ela estabelece autoridade e concordância, e influencia a capacidade. Pelo fato de que a linguagem também está ligada à cultura, é um marcador da família a que você pertence. Isso também se aplica à nossa linguagem de oração. O reino de Deus não é uma multidão, mas uma família, e nossa linguagem de oração faz parte de nossa cultura espiritual e herança como crentes. Nosso Pai celestial nos promete que “recebereis poder quando o Espírito Santo vier sobre vós” (Atos 1:8). É um dom poderoso para nós, nossos filhos, nossos netos e para “todos aqueles a quem o Senhor nosso Deus chamará” (Atos 2:39) — todos os filhos e filhas de Deus.

Acho que quando as pessoas perdem o rumo é que às vezes ficamos tão presos ao falar em línguas que nos esquecemos de que esse dom é uma linguagem, um jeito de nosso espírito e o Espírito de Deus falarem diretamente e ouvirem um ao outro claramente, sem impedimentos pelas restrições da fala humana. Não é sobre a ação que tomamos como oradores, mas sim sobre a interação que ocorre entre o nosso espírito e o Deus que nos criou e nos chama de Seus. Quando falamos em línguas, não estamos segurando um megafone melhor e mais alto apontado para o céu, mas em vez disso nos tornamos melhores ouvintes e estamos mais sintonizados com a Sua voz.

Se você se encontrar num momento em que precisa ouvir o Senhor, falar em línguas abrirá o caminho que você está procurando. Se você está enfrentando desafios que parecem intransponíveis, ore ao seu Pai Celestial em sua linguagem de oração e saiba que Ele ouve e quer que você ouça Sua voz em retorno. Se você deseja receber a plenitude de Seu Santo Espírito, peça agora a Ele para conhecer a mente dEle, a vontade dEle e o poder dEle e esteja pronto para receber tudo o que Ele tem para você — inclusive o dom de línguas.

Se você ainda não fala em línguas, dê um passo de fé, pois o Seu Espírito está lhe dando a Sua língua. Permita que os rios de água viva saiam da parte mais profunda do seu ser. Você é filho dEle e Ele quer ensinar-lhe a sua língua. Permita que Ele encha você até transbordar para a sua edificação e para a edificação daqueles a quem você é chamado para ministrar.

Você é lindo. Eu vejo Jesus em você.

Tenha uma ótima semana!

Mikel French vem desafiando um despertamento espiritual em todas as partes dos Estados Unidos, onde muitas celebrações se estenderam por várias semanas e ele vem conduzindo celebrações na França, Suécia, Rússia, Romênia, Polônia, Ucrânia, Moldávia, Sérvia, Alemanha, África do Sul, Malauí, Filipinas, Hong Kong, Taiwan, Haiti, Japão, Cingapura, Índia e Tailândia. Ele conduziu uma celebração evangelística em Manila, nas Filipinas, alcançando 200.000 adolescentes com o Livro da Esperança. Através do generoso apoio de parceiros, ele vem apresentando a mensagem de Jesus Cristo a milhões de pessoas na nação da Rússia através de celebrações televisionadas. Mikel considera uma honra ajudar a lidear a conferência anual do pastor, onde milhares de pastores dos 11 fusos horários da Rússia vêm para receber treinamento, ensino e serem equipados. Mikel e sua esposa, Marsha, residem em Tulsa, Oklahoma.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: How Praying in Tongues Can Unlock the Breakthrough You Seek

Fonte: www.juliosevero.com

Nenhum comentário