Page Nav

HIDE

Post/Page

Weather Location

Últimas Informações:

latest

Especialistas querem regulamentar técnicas de manipulação climatérica

Cientistas e juristas americanos reivindicaram hoje, num congresso na Califórnia, a criação de uma entidade reguladora mundial que regulam...

Cientistas e juristas americanos reivindicaram hoje, num congresso na Califórnia, a criação de uma entidade reguladora mundial que regulamente as técnicas de manipulação artificial do clima.

"Não há atualmente nenhuma instituição ou tratado capaz de regular eficazmente essas tecnologias", acusou Edward Parson, professor de direito ambiental da Universidade da Califórnia, durante a conferência anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS), em San Jose, Califórnia.
A geoengenharia, uma ciência controversa ainda em fase experimental, disponibiliza técnicas que permitem alterar o clima, como a injeção de aerossóis na estratosfera a reduzir a radiação solar.
"Se um país decidir lançar-se numa experiência arriscada de geoengenharia, nada o poderia deter", alertou o docente para quem "antes de se considerar o desenvolvimento e a utilização destas tecnologias, é preciso ter uma instituição internacional com autoridade e capacidade de tomar decisões".

Também Marcia McNutt, editora da revista Science e ex-diretora do Instituto Americano de Geofísica, disse sábado na conferência que tal mecanismo regulador "deve ser aberto e transparente e envolver sociedade civil" propondo para o efeito uma Organização Não Governamental Internacional ou uma sociedade científica.
"Este tema irá mobilizar rapidamente outros países se os EUA começarem a falar nele", avançou a responsável para quem tal instituição reguladora deve ser criada antes que arranquem as experiências de geoengenharia em grande escala.
Para os cientistas, essas tecnologias não podem substituir uma forte redução das emissões de gases de efeito estufa a partir de atividades humanas, uma abordagem que consideram mais segura para lutar contra o aquecimento global.
fonte:http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=805050&tm=7&layout=121&visual=49