Page Nav

HIDE

Post/Page

Weather Location

Últimas Informações:

latest

PROGRAMA DA BAND VOLTA A SURPREENDER: ESPECIALISTA ALERTA SOBRE OS BILDERBERGS E DOMINAÇÃO MUNDIAL

APÓS DAR VOZ POR 3 OCASIÕES A CLIMATOLOGISTA QUE DESMEMBROU EM REDE NACIONAL A FARSA DO AQUECIMENTO GLOBAL(OS QUAIS PODEM S...





APÓS DAR VOZ POR 3 OCASIÕES A CLIMATOLOGISTA QUE DESMEMBROU EM REDE NACIONAL A FARSA DO AQUECIMENTO GLOBAL(OS QUAIS PODEM SER VISTOS NO SITE:http://unidoscontraomundo.spaceblog.com.br/2492421/PROGRAMA-CANAL-LIVRE-DA-BAND-MAIS-UMA-VEZ-CUTUCA-A-FARSA-DO-AQUECIMENTO-GLOBAL/), PROGRAMA"CANAL LIVRE"AGORA(DIA 08/09/2013) JOGA NO AR DECLARAÇÕES DE ESPECIALISTAS QUE, SEM PAPAS NA LÍNGUA, APONTAM O RISCO IMINENTE DE UMA TERCEIRA GUERRA MUNDIAL(BEM COMO SUA DEPENDÊNCIA DE UMA PARTICIPAÇÃO DIRETA DA RÚSSIA), AS PERSEGUIÇÕES CRISTÃS ENCOBERTAS NO MEIO DO CONFLITO, A EXISTÊNCIA DE UMA MISTERIOSA CÚPULA NAS SOMBRAS COMANDANDO ESTE CONFLITO, A ASSINATURA DOS ALIADOS NORTE-AMERICANOS NO ATAQUE QUÍMICO E, PARA O CHOQUE GERAL DO TELESPECTADOR CIENTE DA NOVA ORDEM MUNDIAL; A MENÇÃO AO CLUBE BILDERBERG E"GRUPOS QUE ALMEJAM O DOMÍNIO MUNDIAL"!


VEJA O PROGRAMA COMPLETO AQUI: http://www.youtube.com/watch?v=ztODiPnLAV0



IMAGEM DA ENTREVISTA
 

Numa edição especial a respeito dos conflitos na Síria, a TV Bandeirantes levou nesta semana a psicanalista e escritora síria Claude Hajjar e o jornalista judeu Jaime Spitzcovsky para um debate no"Canal Livre". Tudo estava correndo normalmente e não passaria de mais um programa politicamente correto sobre a questão dentre os trocentos que já temos atualmente, não fosse a presença da psicanalista e a ousadia da rede Bandeirantes em veicular o conteúdo na íntegra. "Os rebeldes não são sírios. Nem árabe eles falam.", afirmou categoricamente(e com a propriedade de quem tem residência fixa e parentes na região) a escritora para, logo em seguida, arrematar: "Essa é uma programação mundial feita pelo grupo Bilderberg e por outros grupos que querem sim, o domínio mundial". Mais surpreendente ainda, porém, foi o pedido de maiores esclarecimentos a respeito do clube globalista por parte de Fernando Mitre, diretor nacional de jornalismo da Bandeirantes que, ou fingiu muito bem, ou realmente não sabia o que são os Bilderbergs(algo que até este que vos escreve, que só possui um Segundo Grau completo em escolas públicas, sabe. Veja bem, não estou dizendo que todo mundo tenha a obrigação de conhecer sobre os Bilderbergs, e sim dizendo que um jornalista do gabarito dele o tenha.). Como resposta, a Dra. Hajjar sintetizou maravilhosamente ao alegar tratar-se de um grupo composto por vários países que financia uma oposição nas nações árabes com o fim de ter um representante direto no território. Infelizmente, ela nitidamente deu uma driblada no tema e fugiu pela tangente(por razões óbvias, afinal, conforme já citei acima; ela possui parentes nas zonas de conflito e vive entre o Brasil e o Oriente Médio.). O apresentador, por sua vez, minimizou(não sei se para encerrar logo a conversa espinhosa ou aparentar algum conhecimento acerca da questão e, desse modo, não passar por leigo feito seu colega de bancada.):"É uma coalizão." Então, imediatamente fechou-se o assunto e ninguém mais toca nele até o término do programa. 

Como não se bastasse já termos pimenta o suficiente no feijão, o telespectador ainda foi presenteado com um rápido depoimento do ex-diretor de jornalismo da extinta TV Manchete Zevi Ghivelder, que não mediu esforços em dar a entender que a Rússia é o melhor candidato a gatilho e agente catalisador de uma Terceira Guerra Mundial, caso o EUA, de fato; invada a Síria. Na opinião do jornalista e escritor, tudo dependerá da postura da Rússia. Ela determinará os rumos do jogo. É, no mínimo, curioso vermos como o nome da Rússia vem crescendo novamente nos veículos midiáticos. Olhando atentamente, constatamos que o jornalista veterano apenas acompanha uma tendência que vem ganhando força mediante outras vozes igualmente entendidas e renomadas à volta do planeta. Aliás, o cristão que conhece às profecias acerca de Magogue, sabe muito bem o tremendo valor que esta análise de Ghivelder carrega, uma vez que, enquanto a Rússia andava meio esquecida pela grande mídia nas últimas décadas(algo, inclusive, também corroborado pela própria declaração de Zevi.), boa parte dos escatologistas literalistas há anos vem ignorando às projeções e gráficos do cenário mundial e insistindo veementemente em cravar a União Soviética e, atualmente, a Rússia como o invasor do norte relatado nos capítulos 38 e 39 do livro de Ezequiel. No Clássico"Sinais da Próxima Vinda de Cristo"de Gordon Lindsay(publicado no início da década de 70 e lançado no Brasil em 1997.), por exemplo, vemos o autor, mediante dados assustadores, descrever:


12. Sinal: A Confederação Russa
O lugar que a Rússia ocupa na profecia tem sido há muito reconhecido pelos estudantes da Bíblia. Sobre nenhum outro assunto profético se chegou a tão perfeito acordo. Os capítulos 38º e 39º de Ezequiel predizem “Rosh” como grande potência, a qual juntamente com seus satélites, desafiará a terra de Israel nos últimos dias. Há cem anos alguns escritores proféticos escreveram acerca dessa Confederação Septentrional, estando nela incluída a Rússia. Todos agora concordam em que o comunismo é o seu cumprimento. Essa perniciosa filosofia originou-se na I Guerra Mundial e dela emergiu uma terrível potência que veio a dominar quase metade do mundo, como consequência da II Conflagração Mundial. A Rússia é identificada como “Rosh” da profecia. Este termo significa “chefe” ou "urso", símbolo daquela nação, e é dito em Ezequiel 38:2, ser “príncipe de Rosh, de Meseque e Tubal” e que virá “das bandas do norte”. Olhando-se o mapa vê-se que a Rússia está localizada ao norte da Palestina. É ela, atualmente, a potência que representa real ameaça à Terra Santa. Quando “Rosh” lançar sua grande invasão em direção ao sul irá chocar-se com os Estados Unidos e a Grã Bretanha numa luta de vida ou morte. “Sabá e Dedã, e os mercadores de Tarsis, e todos os seus leõesinhos te dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste o teu bando para arrebatar a presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e as possessões, para saquear grandes despojos?”“Sabá e Dedã, e os mercadores de Tarsis, e todos os seus leõesinhos” não parecem ser outros senão a Grã Bretanha (simbolizada por um leão) e sua comunidade de nações, inclusive os Estados Unidos que foram originalmente colonizados pelos ingleses. Estas são as únicas nações que possivelmente poderiam desafiar o poder do grande Urso. O surgimento da Rússia Vermelha na cena, pronta a desafiar o mundo, é cumprimento de profecia claro demais para ser ignorado. É sinal certo de que os acontecimentos finais da presente era estão em vésperas de se cumprir.

13. Sinal: Rosh Move-se Pelo Sul Contra A Palestina
Um dos grandes sinais do fim dos tempos são os acontecimentos que envolvem Rosh (Rússia) nos seus planos de marchar pelo sul contra a Palestina. Estão profetizados em Ezequiel 38, particularmente nos versículos 15 e 16: “Virás, pois, do teu lugar, das bandas do norte, tu, e muitos povos contigo, montados todos a cavalo, grande multidão e poderoso exército; e subirás contra o meu povo Israel, como nuvem, para cobrir a terra. Nos últimos dias...” Com essa profética descrição da invasão da Palestina pelo norte, poder-se-ia imaginar possível ter a Rússia a ousadia de pintar a cena em um dos seus selos postais? Pois o fez. Num selo de 14 copeques emitido em 1930, se encontram os versículos acima transcritos nele ilustrados da maneira mais dramática possível. Bastará examinar-se. O fundo representa a União Soviética. Vê-se a cavalaria vermelha, a lembrar um dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse. A Rússia está ao norte da Palestina e a linha negra por baixo dos cavalos representa o caminho a seguir pelos cavaleiros e aponta diretamente para a Palestina. Todo o fundo do desenho é ocupado por uma nuvem que representa de modo perfeito a visão de Ezequiel. Pode-se ver o mar de Azov e desenhada a provável rota do exército vermelho. Os estadistas russos não lêem a Bíblia; logo, esse selo foi desenhado em plena ignorância da profecia. Sem o saber eles revelaram suas reais intenções. A razão dessa marcha para o sul não é difícil de compreender. Querem um porto que pelas suas águas cálidas esteja aberto o ano todo. Em segundo lugar, desejam apoderar-se das vastas reservas de petróleo da Mesopotâmia para alimentarem a sua máquina de guerra. O fato de tudo indicar não ser remota a probabilidade da grande invasão predita na profecia é mais outro sinal de que o fim dos tempos está próximo.

14. Sinal: Os Reis Do Oriente
“Derramou o sexto (anjo) a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram
para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do lado do nascimento do sol” (Apoc.16:12). Qualquer que seja o sentido desta profecia, uma cousa é evidente: haverá o fortalecimento dos reis do oriente. “Oriente” na profecia bíblica significa a parte que fica a leste da Terra Santa. Ora, é estranho que através dos séculos, exceto durante períodos assaz limitados, o Oriente nunca predominou na história do mundo. Todas as potências mundiais, desde que foi escrito o Apocalipse, estão situadas ao Ocidente. Agora, porém, a cena transforma-se. A Rússia, localizada ao norte do globo, porém a leste da Palestina, domina um sexto da área terrestre do mundo. Há cem anos o Japão experimentou um grande despertamento nacional e por meio século foi potência dominante do Oriente. Derrotado, porém, na II Guerra Mundial, presentemente seu poderio militar é insignificante. Tão rápidas, todavia, são as transformações porque passa o mundo que os Estados Unidos, hoje estão encorajando a nação que derrotaram a
rearmar-se para a batalha contra a crescente ameaça do comunismo.
Também a China, que por longo tempo tem sido a nação mais populosa do mundo, porém fraca por causa do seu atraso, está passando por um tremendo renascimento militar sob o regime comunista, sendo agora considerada uma das quatro mais poderosas potências do globo,
provindo da Rússia a ajuda militar que tem recebido. O Oriente despertou-se pois. O espírito, porém, de que está orientado é para o mal, e não para o bem, por isso que a maldição do comunismo tem infestado e corrompido grandes áreas. Diz a profecia que ao chegar o tempo do fim ,o caminho dos reis do Oriente seria preparado. Verificamos que tal situação ocorre hoje. Ao ser feita aquela profecia a seguinte advertência foi acrescentada: “Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para não andar nu, e não se veja a sua vergonha. Então os ajuntaram no lugar que em hebraico se chama Armagedon” (Apoc. 16:15-16). Quer isto dizer que ao vermos preparar-se o caminho dos reis do Oriente, sabemos que soou para o mundo a hora de Armagedon. 


16. Sinal: Luta Entre o Capital e o Trabalho
“Atendei agora, ... tesouros acumulastes nos últimos dias. Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos, e que por vós foi retido com grande fraude, está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos exércitos” (Tiago 5:1-4). A luta entre o rico e o pobre vem-se travando através dos tempos. Embora haja honrosas exceções, não obstante isso, a tendência tem sido sempre a de explorar o rico ao pobre. Este executava o trabalho e em muitos casos, recebia apenas parte do que lhe era devido. O operário estava a mercê de patrões gananciosos de encher suas arcas à custa de salários vis pagos a seus empregados. Milionários surgiam ao passo que o pobre mourejava longas horas a salários de fome, e morava em favelas. Assim se cumpria a profecia: — “tesouros acumulastes nos últimos dias”. Tal situação não podia perdurar indefinidamente. Criaram-se poderosos sindicatos quearregimentavam os trabalhadores. Exigiram e obtiveram, por meios pacíficos ou violentos, aquilo que julgavam ser devido ao operário.

Porém o maior mal resultante do choque entre o capital e o trabalho, gerou-o o comunismo — filosofia que finge dar ao trabalhador uma parcela maior do resultado do seu trabalho. O comunismo é, na realidade, enganadora filosofia inspirada por Satanás. Ao invés de socorrer o homem, reduziu-o a um estado de escravidão e pobreza nos países onde passou a dominar. Seu declarado propósito de subjugar o mundo tem obrigado as nações livres a tornarem-se campos armados. Houvessem os ricos e os lideres da terra dispensado justiça aos que estavam sob sua dependência, jamais teria nascido o comunismo. Mas a profecia deve cumprir-se. Deus tem visto o que se tem passado na terra, e a hora da Sua justiça chegou, conforme diz Tiago: “Eis que o juiz está as portas” (Tiago 5:9). É mais um sinal de que próxima está a vinda de Jesus.


Quanto a Jaime Spitzcovsky, embora discorde de sua visão cética e convencional, compreendo seu posicionamento, afinal, se fosse judeu muito provavelmente eu também jogaria lenha na fogueira. Israel é um ovo e todos os seus países vizinhos, além do Estado palestino e alguns aliados dos árabes no exterior, tem como meta a total extinção semita. Portanto, uma vez que a invasão norte-americana no território sírio acabaria envolvendo vários desses inimigos por tabela, seria a oportunidade única de Israel assistir de camarote ao extermínio de seus oponentes mediante um serviço, digamos, "terceirizado". Podemos ter uma Terceira Guerra Mundial no Oriente Médio, entretanto ironicamente sem o protagonismo daquele que sempre foi o grande pivô dos confrontos armados na região.

Falando em Terceira Guerra Mundial, é interessante no tar que, algo que até então era visto da forma mais preconceituosa possível como papo de fanáticos religiosos e conspiracionistas lunáticos, agora anda sendo ventilado pela imprensa convencional feito a coisa mais comum do mundo... É muito cômodo arriscar o placar de uma partida de futebol depois que a bola já está rolando há 80 minutos. 

Voltando à Claude Hajjar, é preciso salientar que discordo inteiramente de seu apoio ao Irã e a grupos sabidamente terroristas como o Hezbollah. O que desejo mostrar neste artigo é tão somente que temas como dominação mundial, clube Bilderberg, perseguição cristã e Terceira Guerra Mundial são absolutamente notórios entre a elite intelectual, e não coisas de maluco conforme a imprensa oficial nos leva a crer. Uma especialista no conflito da Síria citou isso no ar e a emissora responsável, que poderia ter tranquilamente editado(já que o programa não é ao vivo.), permitiu sua exibição completa. Está certo que não houve um aprofundamento maior(a emissora não é das mais vistas, o horário, madrugada de domingo para segunda, é o pior que existe...), porém só pelo fato do debate ter sido levantado na TV aberta, já é considerado por mim um baita acontecimento na história da cultura conspiracionista nacional. Outra coisa que a escritora disse sobre o governo de Bashar al-Assad e que possui extrema sintonia com fatos revelados a respeito do governo de Kadafi pouco antes dele ser executado, foi sobre a maneira com a qual a mídia ocidental picha esses governos ante o mundo com o fim de arrebanhar o apoio maçisso da opinião pública na promoção das invasões norte-americanas. "Eles destruíram o Iraque, destruíram a Líbia e agora querem destruir a Síria", afirmou a escritora. Diante de tamanha declaração, impossível não relembrar os dados divulgados no passado sobre o governo Kadafi:



A todo momento vemos na grande mídia notícias que acusam Kadafi de estar atacando de forma cruel e desumana o povo líbio. Mas será isso uma verdade? Ou será apenas mais uma das vastas maneiras de manipular a opinião das massas? 

Há muitos anos a propaganda tem sido largamente utilizada pelos governos, principalmente a partir da Segunda Guerra Mundial, onde os fatos que culmiram no surgimento de um mundo bipolar, estando dividido entre EUA x URSS. Nesta época que chamamos de Guerra-Fria, a maior arma utilizada não foram canhões, misseis ou aviões, mas sim o poder da propaganda e da mídia. Assim a mídia se constitui em uma arma poderosa para se atingir determinados objetivos, basta observar o ocorrido após os ataques de 11 de setembro com a propaganda massiva da Guerra ao Terror que levou a invasão do Iraque sob falsas informações de que o mesmo possuia armas de destruição em massa e não só isso, também afirmavam ligações de Sadam com as redes terroristas,algo inconcebível e jamais provado. 

Mais uma vez hoje nos deparamos com o uso massivo da mídia como uma das armas de guerra que tem sido usada na Libia. Informações desencontradas, mentiras e noticias direcionadas a dar respaldo aos interesses excusos de determinado grupo tem inundado nossas redes de informações. Mas eu pergunto ao amigo leitor, em quem devemos acreditar? O que é verdade e o que tem sido mentira? 

Kadafi é um ditador, isso concordo plenamente. Mas será Kadafi um ditador sanguinário que massacra seu próprio povo? 

Em minha concepção após acompanhar por alguns anos os indicadores de desenvolvimento da África e o governo em especial da Líbia por ser este país um bastião de desenvolvimento na região tão empobrecida e miserável como é o continente Africano em grande parte. Vejo que temos tido uma visão míope e tendenciosa da grande mídia com relação a imagem de Kadafi e a nação Líbia. Vou listar aqui alguns pontos que não vejo serem ressaltados em qualquer mídia, e com isso assumo uma posição suscetível a criticas e mesmo á represálias por defensores das políticas selvagens da OTAN e seus estados, além dos ditos defensores dos direitos humanos. 

Se me recordo bem, no ano de 2007 os indicadores da ONU, a mesma que hoje deu carta branca para o ataque criminoso da OTAN á Líbia, constatou os seguintes fatos: 

- A Líbia possui o maior IDH do continente Africano, valendo salientar que este IDH supera até mesmo o brasileiro. 

- A Líbia fornece educação gratuita até a formação em nível superior, tendo um indice baixissimo de analfabetismo. 

- A Líbia de Kadafi sustenta cerca de 10% de seus jovens em cursos de nível superior na Europa e EUA. 

- A Líbia de Kadafi presenteia casais recém casados com um bônus de até 50 mil dólares. 

- A Líbia de Kadafi provê a seu povo um sistema de saúde moderno, comparável aos mais altos padrões europeus gratuitamente. 

- A Líbia de Kadafi através de seu banco estatal fornece linha de credito á seu povo com taxa de juros zero. 

- A Líbia de Kadafi criou o maior sistema de irrigação do mundo, vem tornando o deserto (95% da Líbia), em fazendas produtoras de alimentos. 

- A Líbia de Kadafi distribui a renda do petróleo entre a sua população. 

Estes são alguns de vários exemplos que podemos citar, mas que por motivos óbvios que não preciso nem comentar, levam tais fatos a serem encobertos e não propagados ao mundo pelos barões da midia que se vendem aos interesses alheios á verdade. 

O que vemos na Líbia hoje não é como não cansam de repetir nos meios de comunicação, um ataque do governo contra um povo, ou uma manifestação pacífica que esta sendo cruelmente reprimida por um sanguinário ditador, que é como pintam Kadafi. 

Primeiro ponto que derruba essa teoria é o simples fato que um grupo opositor ao governo de fato através do uso de armas e violência promoveu um levante em uma região específica do país. Insiro aqui um fato que não foi revelado na mídia, os opositores de Kadafi ao iniciar a sua campanha de insurreição e levante armado vitimaram dezenas de civis inocentes que apoiavam o governo nas regiões onde tomaram o controle. Promoveram saques e execuções sumárias que são mantidas encobertas da opinião pública mundial pela OTAN. 

Segundo ponto importate a ser considerado é que Kadafi ordenou bombardeios sim, mas os alvos sempre foram desde o principio os paiois de armas e munições das forças armadas líbias que cairam em poder dos insurgentes, muito diferente da versão apresentada até então. 

Terceiro fato e um dos mais importantes, todo estado tem direito de fazer uso de suas armas para se defender de ameaças externas e internas que venham a por em risco a integridade do estado. O que vemos na Líbia é claramente um estado de insurreição, onde de um lado temos o Estado Líbio e de outro uma força insurgente fazendo uso de armas para derrubar o governo legítimo, algo totalmente fora do contexto ocorrido nos demais estados árabes com as revoluções por direitos democráticos. 

Em resumo o que temos é uma clara violação da Carta das Nações Unidas. Onde a ONU deu respaldo para que a OTAN, uma organização que perdurá mesmo após o fim da ameaça para a qual foi criada á contrapor, que hoje deixou seu teatro de operações original que é o europeu e passou a tornar-se uma ferramenta militar coativa da UE e EUA para defesa seus interesses, a atuar na Líbia como força de intervenção, supostamente encarregada de criar e manutenir uma zona de exclusão aérea para que fosse possivel inserir ajuda humanitária as vítimas daquele conflito civil. 

O que vemos não é o cumprimento de uma zona de exclusão aérea, pois o mesmo se limitaria a delimitar uma zona onde fosse proibido o sobrevoo de aeronaves militares Líbias ou rebeldes, e não o ataque a posições do exército líbio e a infraestrutura de defesa do Estado de fato. O que ocorre é um claro desrespeito a resolução adotada, pois a OTAN tem atuado em apoio as forças rebeldes, tomando assim partido dentro de uma questão interna do Estado Líbio ao qual não cabe qualquer intervenção internacional. Pior a OTAN esta contribuindo em um esforço para derrubada de um governo legitimado que possui apoio de mais de 80% de sua população, e que em suas ações ditas de "ajuda Humanitária" tem vitimado os civis aos quais deveria proteger. 

Vamos entender um pouco mais ao abordar os interesses externos na Líbia de Kadafi: 

- A Líbia de Kadafi possui uma reserva de mais de 45 bilhões de barris de petróleo de alta qualidade. 

- A Líbia de Kadafi juntamente com a Síria de Al-Assad são os únicos Estados do mediterrâneo não alinhados as políticas da OTAN. 

- O Banco Central Líbio não faz parte do sistema Financeiro mundial. Possuindo reservas com toneladas de ouro, dando respaldo ao valor do dinar, e desatrelando das flutuações do cambiais do dólar. 

- A Líbia de Kadafi propôs e quase teve êxito na criação de uma moeda afrinaca unificada desligada do dólar e do sistema financeiro mundial, com isso criando mais um fator pelo qual há o grande interesse de derruba-lo do poder. 

- Após a queda de Kadafi, caso esta ocorra, os Estados da OTAN irão implantar um governo fantoche e com isso se apoderar do controle das reservas petrolíferas, além de garantir bilhões em contratos de suas empreiteras na reconstrução da infraestrutura líbia que esta sendo aniquilada pelos bombardeios. 

Em resumo o que vemos na mídia em grande parte são mentiras ou meia-verdades usadas para garantir o apoio internacional nesta guerra suja e desumana á qual temos assistido, onde um grupo de rebeldes, em grande parte membros de grupos extremistas islâmicos, tentam derrubar um governo que tem garantido ao seu povo condições ímpares de desenvolvimento e qualidade de vida. 

Agora nos resta assistir de mãos atadas este verdadeiro crime perpetrado pela OTAN e ver nascer mais um poço de lama como é o caso do Afeganistão e Iraque. Tendo apenas uma certeza caso haja a queda de Kadafi, a de que a África irá perder o seu único bastião de desenvolvimento e veremos surgir mais um estado fraco e um provável covil de terroristas e toda sorte de criminosos internacionais. 

Angelo D. Nicolaci 
Editor GeoPolítica Brasil

Apenas algo mais precisa ser dito para fechar esta matéria:
a cara de pau do Casoy, que ficou o programa inteiro dando 

uma de "defensor das minorias", sendo que não faz muito 

tempo o cara foi flagrado chamando uma dupla de garis de "o 

que há de mais baixo na escala de trabalho humana"; talvez 

tenha sido mais chocante do que as próprias declarações da 

Dra.Hajjar(o vídeos dele zombando dos garis e, mais tarde, 

desculpando-se durante a transmissão ao vivo, pode ser visto 

ainda pode ficar sua situação caso as acusações de pedofilia 

feitas contra ele recentemente(cuja matéria você acompanha 



POR-JORGE-KAJURU/ ) sejam provadas.

Por Buck Williams

Nenhum comentário