Page Nav

HIDE

Post/Page

Weather Location

Últimas Informações:

latest

Cadê o colar de tomates de Ana Maria Braga?

Quatro meses atrás, o Globo alarmava o Brasil com a inflação dos alimentos e a apresentadora pendurava seu colar de tomates no pescoç...



Quatro meses atrás, o Globo alarmava o Brasil com a inflação dos alimentos e a apresentadora pendurava seu colar de tomates no pescoço. Hoje, com a queda da cesta básica em 18 capitais, o que não acontecia desde 2007, apenas uma nota dentro do caderno de economia

ana maria braga tomateAna Maria usou colar para protestar contra alta do tomate, mas não comentou desaceleração da inflação e queda no preço da cesta básica. Como diz o ditado, “notícia boa é notícia ruim”. (Imagem: Tv Globo)
Notícia boa é notícia ruim, dizem os americanos. Nas Organizações Globo, a regra tem sido aplicada. Em maio do ano passado, com letras garrafais, título em negrito e a chamada “Disparada dos preços”, o Globo destacava a inflação dos alimentos em 12 meses – uma alta conjuntural, que todos os especialistas atribuíam a quebras de safra.
Naquele momento, o “lobby do tomate”, que pressionava o Banco Central a elevar os juros, foi coroado com o colar que Ana Maria Braga pendurou no pescoço.
Pois ontem foi divulgada variação da cesta básica em 18 capitais pesquisas. Em todas elas, houve queda de preços, o que não acontecia desde 2007.
Onde foi parar a notícia? No Globo, numa nota discreta no caderno de economia, sem direito a chamada na primeira página.
Good news is bad news.

Inflação desacelera e volta a ficar dentro da meta

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou variação positiva de 0,03 por cento em julho, após alta de 0,26 por cento em junho, menor taxa desde julho de 2010 (0,01 por cento), informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.
No acumulado de 12 meses, o IPCA avançou 6,27 por cento no mês passado, mostrando queda ante os 6,70 por cento de junho e voltando a ficar abaixo do teto da meta do governo, com a menor variação desde janeiro deste ano (6,15 por cento).
Analistas ouvidos pela Reuters esperavam variação negativa de 0,02 por cento no mês passado, segundo a mediana de 18 projeções, que variaram de queda de 0,13 por cento a alta de 0,07 por cento.
Para o acumulado em 12 meses, a expectativa era de que o indicador subiria a 6,23 por cento, segundo a mediana de 14 estimativas, variando de 6,10 a 6,30 por cento.

Brasil247 e Reuters

Nenhum comentário